quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Verdadeiros Adoradores

Conversando hoje com uma amiga, a mesma me falou sobre nossa diferença de credo religioso, na hora falei que assim, como Deus não fazia acepção de pessoas, e que Ele não buscava tabuletas de igrejas, mas verdadeiros adoradores, e que eu também procurava seguir em minha vida esse mesmo modelo.                             Depois comecei a refletir no tema e fui buscar na palavra do Senhor inspiração para abordar o assunto. Cristo durante todo o seu ministério não falou nunca sobre religião. Na verdade Ele criticava o principal grupo religioso da época os Fariseus. Confere o Texto: Mateus 23:13-22. Jesus ao criticar os fariseus quis mostrar que a religião formalista não é meio de salvação, mas na prática produtora de escravidão de formas e ritos religiosos; sendo, portanto, contraria a Lei do Amor que Ele queria estabelecer na terra.
Simplesmente, Cristo através de suas atitudes demonstrou e exemplificou o Amor, ensinando-nos a irmos além do amor ao próximo, amar também os inimigos.  Veja Lucas 6: 27 -36; destaque para os versículos: 32 "Que mérito vocês terão se amarem aos que os amam? Até os pecadores amam aos que os amam”.   35 “Amem, porém, os seus inimigos, façam-lhes o bem e emprestem a eles, sem esperar receber nada de volta. Então, a recompensa que terão será grande e vocês serão filhos do Altíssimo, porque ele é bondoso para com os ingratos e maus”. 36 “Sejam misericordiosos, assim como o Pai de vocês é misericordioso”. Precisamos pesar as razões por que Jesus repreendia os fariseus e olhar cuidadosamente para nossas próprias vidas. Buscando, ser aqueles a quem Ele vem buscar um dia, Sua igreja os verdadeiros Adoradores. Mas, infelizmente hoje vemos pessoas contra pessoas por conta de que acreditam serem detentoras dos direitos autorais e cocriadoras juntamente com Cristo da “Religião A ou B”. Criação nossa, ao invés de nos unir, a religião surgiu como meio de nos separar; chegamos ao ponto de que membros de uma mesma família não respeitam a liberdade do outro de escolher aquela religião com que mais se identificam. E dentro da própria igreja irmãos que de uma hora pra outra criam partidarismos religiosos dando surgimento a novas religiões.  E se Jesus retornar-se hoje, será que Ele, assim, como fez aos fariseus, se oporia a toda religião existente? Ou Ele ia escolher entre “A ou B”? Com certeza naquela época, a maioria das pessoas acreditava que para ser fiel ao Senhor, teria que seguir as regras dos fariseus. E Jesus vem na contra mão da religiosidade farisaica tirando o jugo de sobre os nossos ombros, e nos dando liberdade, João 8: 32 E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. Mesmo assim, ainda hoje muitos vivem, uma religiosidade, superficial e unilateral; criamos a religião que nós queremos, onde nos julgamos superiores por fazer parte da religião tal, e ainda fazemos acepção de pessoas colocando muitas vezes empecilhos, por não acharmos que elas são merecedoras de compartilhar conosco a mesma graça da salvação. Com isso vão surgindo a cada dia pessoas religiosas que simplesmente não entendem a graça, o dom gratuito de DEUS que é o Amor, e assim além de não desfrutar do amor do Pai, não compartilham desse amor com os outros.  Esquecemos-nos dos valores que de fato são essenciais ao nosso crescimento espiritual que é ó Amor, a compaixão, a misericórdia. Que o mais importante antes de sermos religião “A ou B”, é ser cristão é ter Cristo habitando em nosso coração, mudando nosso caráter, quebrando nosso orgulho. E do que Deus espera que, sejamos um único rebanho de só pastor Jesus Cristo. Porque a salvação, não é algo exclusivo de poucos, ela veio para todos aqueles que o buscam em espírito e em verdade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

BÍBLIA ONLINE

O PENSADOR

Seguidores